terça-feira, 12 de abril de 2016

Decreto.

Decretei distância total a tudo que me faz mal
Decretei distância da política, do sal, do jornal
Decretei a mim esse direito!
Desde muito cedo fui intimidada pelo mal
Ele mandava, manipulava, transtornava,
Transgredia, ameaçava e torturava
E eu copiosamente lhe honrava
Com servidão, medo e desgraça
Agora é o fim das mordaças
E meu coração enfim brada
Esta pouca liberdade.



(Mariana L. de Almeida)
Postar um comentário