segunda-feira, 4 de julho de 2016

Aquela menina.




Por um instante
Ainda pude ver
A menina que um dia fui
Sim! Por um instante apenas
Esbarrei com ela no espelho pela manhã
Meu Deus, o que fiz daquela menina
Que um dia em mim habitou?
Por uma fração de segundos
Meus olhos encararam os dela
Vi como ela sorria alegremente e sem motivo algum
Aquele doce menina só entendia de amor
E nada mais.
Me encarou no espelho um pouco horrorizada, eu sei
Não entendeu os caminhos que escolhi
Ou que por eles fui levada sem a autorização dela
Aquela sapequice do olhar me encantou
Amei aquela menina, talvez pela primeira vez
Prometi não machucá-la mais, era preciso nos perdoar
Ela imediatamente me sorriu, leve
Eu retribuí com uma lágrima no olhar
E enfim me sentindo em paz.




Postar um comentário